Dengue: Aumento Alarmante de Casos em Umuarama

O município de Umuarama, no Paraná, está enfrentando um aumento significativo nos casos de dengue nas últimas semanas.

De acordo com o Serviço de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde, o número de casos mais que dobrou, passando de 41 para 85 casos confirmados no período de julho de 2023 a fevereiro de 2024.

Além dos casos confirmados, há 98 pacientes sob suspeita da doença, o que pode agravar ainda mais a situação.

Esse cenário elevou o nível de preocupação em seis regiões da cidade, que agora estão em estado de alerta, representado pela cor amarela no mapa de acompanhamento da dengue.

A coordenadora da Vigilância Ambiental, Rafaella Naves, ressaltou que todos os casos foram confirmados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) a partir de exames encaminhados para análise durante o atual período epidemiológico.

Essa situação não é exclusiva de Umuarama.

O estado do Paraná enfrenta uma verdadeira epidemia de dengue, com números alarmantes em cidades próximas.

Em Alto Piquiri, por exemplo, foram registrados 419 casos, em Mariluz 695, e em Paranavaí a situação é ainda mais crítica, com 1.583 casos confirmados.

Diante desse cenário, a Secretaria de Saúde de Umuarama recomenda que a população redobre os cuidados para evitar a proliferação do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti.

A eliminação de recipientes e utensílios que possam acumular água parada é fundamental para combater a doença.

No Paraná, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), foram registrados 8.441 novos casos na última semana, totalizando 37.516 casos no período sazonal 2023/2024.

Infelizmente, o estado também contabiliza 15 óbitos pela doença, com destaque para as cidades de Antonina, Mariluz, Arapongas, Paranavaí, Apucarana (2) e Londrina.

As Regionais de Saúde com mais casos confirmados são Apucarana, Paranavaí, Londrina, Ivaiporã e Cascavel, enquanto os municípios mais afetados são Apucarana, Londrina, Ivaiporã, Maringá, Paranavaí, Jandaia do Sul e Santa Izabel do Oeste.

Diante desse quadro preocupante, é fundamental que a população e as autoridades intensifiquem as medidas de prevenção e controle da dengue para evitar uma escalada ainda maior dessa epidemia.

Os esforços de combate à dengue incluem ações como arrastões, orientações à população e bloqueio de focos do mosquito transmissor.

No entanto, a participação ativa dos moradores é crucial para o sucesso dessas iniciativas.

O secretário de Saúde de Umuarama, Edson dos Santos Souza, enfatizou a importância da colaboração da comunidade no combate à dengue, especialmente na eliminação de possíveis criadouros do Aedes aegypti dentro de suas propriedades.

Medidas simples, como não deixar água parada em recipientes, manter caixas d’água fechadas e limpar regularmente calhas e ralos, fazem toda a diferença na prevenção da proliferação do mosquito.

Além disso, é essencial que as pessoas fiquem atentas aos sintomas da dengue, como febre alta, dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações, além de manchas vermelhas pelo corpo.

Ao apresentar esses sintomas, é importante buscar atendimento médico imediatamente para um diagnóstico preciso e o início do tratamento adequado.

No contexto estadual, as autoridades de saúde estão intensificando as ações de vigilância e controle da dengue em todo o Paraná.

Campanhas de conscientização, mutirões de limpeza e monitoramento constante dos índices de infestação do mosquito são algumas das estratégias adotadas para conter a propagação da doença.

É fundamental que toda a sociedade se mobilize nessa luta contra a dengue, adotando práticas preventivas em suas residências, apoiando as iniciativas das autoridades de saúde e buscando informações confiáveis sobre a doença e suas medidas de controle.

O enfrentamento da epidemia de dengue exige uma atuação conjunta e coordenada de todos os setores da sociedade, desde os órgãos públicos até os cidadãos individualmente.

Com a conscientização, prevenção e ação efetiva, é possível reduzir os impactos dessa grave doença e proteger a saúde de toda a população.